Cai no hospital e exigem 300 euros para a socorrer, na Troja

“Limparam-me a cara e perguntaram se tinha seguro”, Fernanda Campelo revelou que não a quiseram atender por não ter seguro.

Links patrocinados

Segundo adianta o Correio da Manhã, os profissionais do Hospital Trofa Saúde, chamaram o marido que estava à espera fora do hospital, depois de saberem que Fernanda não tinha seguro.

“Limparam-me a cara e perguntaram-me se tinha seguro. Como disse que não, disseram que só para suturar as feridas teria de pagar 300 euros.” Revelou Fernanda, que caiu nas escadas rolantes do Hospital Trofa Saúde, em Alfena, Valongo, e teve de ir para o Hospital de S. João, Porto, para receber tratamento.

Links patrocinados

“Fui com a minha sogra fazer uns exames e nas escadas ela desequilibrou-se. Ao tentar ajudá-la caí de cabeça”, explicou. Os profissionais daquele hospital, depois de saberem que não tinha seguro, chamaram o marido que estava à espera fora do hospital e explicaram que ou pagava ou teria de chamar uma ambulância.

“Chamei o INEM e ela foi levada para o S. João, onde levou mais de 15 pontos na cabeça e foi tratada aos restantes ferimentos”, disse o marido da mulher, Rui Teixeira.

O homem formalizou ainda uma queixa na GNR contra o hospital. “Não quero indemnizações, só quero justiça. Isto não se faz”, observou.

Partilhe com os seus amigos: