Médico Carlo Mosca detido por suspeita de matar doentes Covid-19 para libertar camas de hospital

Médico Carlo Mosca detido por suspeita de matar doentes Covid-19 para libertar camas de hospital

Carlo Mosca, de 47 anos, foi detido após fortes suspeitas de assassinato de dois doentes com Covid-19 com doses letais de anestésicos.

Links patrocinados

O caso remonta a março de 2020, na Lombardia, em Itália, e as vítimas foram Natale Bassi, de 61, e Angelo Paletti, de 80 anos.

A unidade hospitalar já estava na mira das autoridades de saúde. Numa altura em que os hospitais italianos estavam entupidos devido ao enorme número de Doentes Covid, o hospital de Montiarchi registava maior número de mortes nas urgências; foi detetado como “anormal” o facto de as mortes ocorrerem pouco depois dos pacientes darem entrada e foram investigados cinco casos.

Links patrocinados

O suspeito estava a coordenar as urgências do hospital de Montichiari, na Lombardia, e foram mensagens de Whatsapp intercetadas, trocadas entre enfermeiras, que acabaram por denunciar o profissional de saúde.

“Não vou matar doentes só porque ele quer libertar camas”, contou uma profissional de saúde em conversa com Carlo. Esse mesmo colega responde afirmando que não está no hospital mas que a situação era uma “loucura”.

Segundo o jornal italiano Corriere de la Sera, Carlo preparava dois medicamentos que costumam ser usados antes de entubar um doente, e pedia aos enfermeiros para administrarem ao paciente.

O médico-chefe interino do Hospital de Montichiari foi detido e colocado em prisão domiciliária, estando a ser acusado de administrar intencionalmente medicamentos com efeito anestésico e bloqueador neuromuscular a doentes Covid provocando a causando a morte de dois dos doentes ao seu cuidado.