Coronavírus detetado em caixas de bacalhau congelado na China

Autoridades chinesas não revelaram ainda de onde vem o bacalhau congelado onde o vírus ativo foi encontrado.

Links patrocinados

A China encontrou pela primeira vez amostras ativas de coronavírus em embalagens de bacalhau congelado. Segundo avança o Centro Nacional de Prevenção e Controlo de Doenças (CDC), esta descoberta levanta a hipótese, ainda que remota, de contágio ao tocar neste tipo de alimentos.

As autoridades chinesas não divulgaram a origem do carregamento de bacalhau congelado onde o vírus ativo foi encontrado, contudo, sabe-se que a descoberta foi feita após ter sido realizada uma investigação para determinar a origem de um surto que na passada semana infetou 13 pessoas na cidade portuária chinesa de Qingdao.

Links patrocinados

Segundo avança o CDC, este pequeno surto teve origem em dois estivadores do porto que tocaram na carga em questão e que foram depois levados ao hospital da cidade, ainda sem apresentarem sintomas da doença.

O hospital não terá desinfetado de forma correta o equipamento usado e o vírus acabou por atingir outros pacientes e algum pessoal médico.

“É a primeira vez que o novo coronavírus surge isolado no exterior de alimentos congelados e que se confirma que o contacto com embalagens pode causar contágio”, adianta o CDC em comunicado, antes de lembrar que o vírus pode sobreviver numa superfície congelada durante bastante tempo, pelo que pode transmitir-se durante viagens bastante longas.

Como medida de precaução, as autoridades chinesas pediram aos trabalhadores que manuseiam este tipo de produtos que evitem o contacto direito com a pele e não toquem no roto antes de tirar a roupa de trabalho e desinfetar/lavar as mãos.

Partilhe com os seus amigos: