Vincent morreu decapitado no ataque terrorista. Para trás deixa dois filhos

Já surgiu a primeira fotografia de uma das três vítimas do ataque terrorista durante um ataque islâmico em Nice – durante o qual duas das vítimas foram decapitadas .

Links patrocinados

Vincent Loques, tinha 45 anos, era um guarda da basílica de Notre Dame na cidade de Nice, que foi atacada pelo imigrante tunisiano Brahim Aoussaoui, de 21 anos, por volta das 9h desta quinta-feira.

Vincent era pai de dois filhos e encontrava-se a trabalhar quando foi atcado.

Links patrocinados

Acredita-se que Aoussaoui tenha decapitado uma paroquiana idosa antes de atacar Loques, cuja garganta também foi cortada, o homem esfaqueou ainda outra mulher antes de ser baleado e detido.

Um segundo ataque ocorreu duas horas depois, quando um homem armado ameaçou pessoas nas ruas de Avignon, a cerca de 190 quilómetros de Nico, enquanto gritava ‘Allahu Akbar’ antes de ser morto a tiros pela polícia.

Em Jeddah, na Arábia Saudita, um segurança foi esfaqueado e ferido do lado de fora do consulado francês.

Os ataques acontecem em meio de uma revolta em todo o mundo islâmico contra o presidente Macron, por defender ilustrações satíricas do profeta Maomé, e no dia em que os muçulmanos sunitas marcam o aniversário do profeta.

Também aconteceu a menos de duas semanas depois de um professor, Samuel Paty, ter sido decapitado no norte de Paris por mostrar desenhos animados do Profeta aos seus alunos numa aula sobre liberdade de expressão.

Macron viajou para Nice após o ataque e fez um discurso pouco depois das 3 da tarde, quando os sinos das igrejas soaram em toda a França para homenagear os mortos. Macron disse que era “claro que a França está sob ataque, por causa dos nossos valores de liberdade e o nosso desejo de não ceder ao terror”.

Partilhe com os seus amigos: