Mãe de Archie desesperada, quer manter filho vivo nem que seja com “respiração boca a boca”

Mãe de Archie desesperada, quer manter filho vivo nem que seja com "respiração boca a boca"

A mãe de Archie Battersbee, o menino inglês de 12 anos que está em coma profundo desde abril, está desesperada e garante que se o hospital não colaborar, ela mesma irá manter vivo o filho, com “respiração boca a boca”.

Com a recusa do Tribunal Europeu dos Direitos do Homem em analisar o caso, os pais de Archie esgotaram os seus recursos judiciais. Apesar de todo o esforço da família do menino, o hospital tem agora luz verde para desligar as máquinas de suporte de vida que permitem que o menino continue a viver.

Os pais de Archie já só querem que o menino possa morrer de forma digna num sítio à sua escolha. “Agora temos que lutar para ver se o conseguimos tirar daqui [do hospital] para que ele tenha uma morte digna numa clínica de paliativos. É muito injusto. Como pais, não temos direitos sobre as nossas crianças. É revoltante”, lamenta a mãe da criança.

Leia Também: “Cansada, mas com esperança”: Patrícia Cipriano termina tratamento de quimioterapia

O hospital recusa-se a transferir o menino, alegando que existem riscos associados à mudança para um “ambiente completamente diferente”, que “pode acelerar a deterioração prematura que a família quer evitar”.

Apesar da recusa do hospital, a mulher não baixa os braços. “Se for negado oxigénio ao Archie quando as máquinas forem desligadas eu mesma vou continuar a dar-lhe oxigénio. (…) Se recusarem dar-nos permissão para o levarmos para a clínica e não lhe derem oxigénio paliativo, isso é desumano”, afirma a mãe.

Partilhe com os seus amigos: