Menina de 11 anos agredida e violada por cunhado que a acolheu durante a pandemia, em Lisboa

Uma menina de 11 anos foi abusada sexualmente e agredida pelo marido da irmã, que a acolheu durante a pandemia para proteger os pais idosos e doentes, durante a pandemia de Covid-19.

A menina de 11 anos foi viver com a irmã e o marido em abril de 2020, para tentar proteger os pais, doentes e de idade avançada, durante a pandemia de Covid-19. Enquanto esteve naquela casa, a menina foi abusada sexualmente “pelo menos” 50 vezes. O agressor violava a menina e ameaçava-a de que a voltaria a agredir caso contasse os crimes a alguém.

No dia 17 de novembro, a menina mostrou-se reticente em abandonar a escola para ir para casa, onde iria estar sozinha com o predador. A professora percebeu que algo não estava bem e ainda lhe telefonou na mesma noite, mas a menina não pôde revelar nada por telefone. No dia seguinte, a menina foi novamente abusada e contou tudo à professora assim que chegou à escola.

Leia Também: LUTO: Agente da PSP põe fim à própria vida em praia da Figueira da Foz

A Polícia Judiciária de Lisboa foi acionada e em 14 horas conseguiu reunir provas suficientes para a detenção do agressor, de 36 anos, funcionário da recolha de resíduos.

Segundo a investigação, os abusos terão começado durante a gravidez do filho do casal, que tem agora um ano, e ter-se-ão intensificado quando terminou a licença de maternidade da irmã da vítima. O abusador aproveitava a ausência da companheira para abusar da menina.