“Não queria mais filhos”. Mãe mata filhas gémeas em Espinho acabadas de nascer

"Não queria mais filhos". Mãe mata filhas gémeas em Espinho acabadas de nascer

Mulher já tinha dois filhos, não planeados, e não queria ter mais nenhum. É acusada de homicídio qualificado.

Links patrocinados

Uma mulher, de 26 anos de idade, mãe de duas meninas, de 4 anos e 16 meses, não queria ter mais filhos, pois nunca planeou nenhuma gravidez. Tudo começou no ano de 2019, quando começou a ter ciclos de menstruação irregulares e descobriu que afinal estava novamente grávida de 5 meses.

Na altura, partilhava habitação com o namorado, no entanto, a relação entre os dois era problemática. Quando descobriu a nova gravidez, optou por não ir ao médico nem contar a ninguém sobre esse facto.

Links patrocinados

Foi a 18 de janeiro de 2020 que a mulher deu à luz duas gémeas, sozinha na casa de banho da habitação onde residia, em Espinho. Embrulhou as bebés em toalhas e esperou que estas perdessem a vida por falta de oxigénio.

A arguida revelou às autoridades que, depois de ter dado à luz em condições desumanas, embrulhou as duas meninas numa toalha, cortou os cordões umbilicais e ficou sentada na sanita, sem saber o que fazer.

Pouco tempo depois, tomou banho e colocou os corpos das bebés dentro de um saco de plástico e deixou-os na mala do carro. Acabou por ir dormir com a filha mais velha e no dia seguinte foi trabalhar.

Agora, está a ser acusada de homicídio qualificado e arrisca a pena máxima de 25 anos de cadeia.

Partilhe com os seus amigos: