“Não temos alternativa” A última mensagem arrepiante deixada por família imigrante cujo barco afundou

Uma família desesperada de migrantes curdo-iranianos pagou mais de 22 mil euros a contrabandistas para chegar a Inglaterra.

Links patrocinados

A família encontrava-se num bosque de refugiados repleto de tendas,  antes de fazer a trágica travessia fatal com a esperança de um processo de asilo “mais rápido” e educação decente para as crianças no Reino Unido.

O trabalhador da construção civil Rasoul Iran-Nejad, 35, a sua esposa Shiva Mohammad Panahi, 35, junto de Anita, nove anos, e Armin, de seis anos, morreram após ficarem presos na cabine de um barco de pesca improvisado e abarrotado quando virou em condições adversas e com ventos a ultrapassar os 65km/h.

Links patrocinados

O filho mais pequeno, Artin, ainda não foi encontrado, informou a BBC Persian, mas as autoridades francesas cancelaram as buscas e disseram que não há esperança de encontrar mais sobreviventes. Dois adultos migrantes também estão desaparecidos.

Na floresta de Dunquerque, onde passaram os seus últimos dias amigos da família relataram como a família, da cidade de Sandasht, no noroeste do Irão, foi repetidamente avisada de que a viagem era muito perigosa, mas avançou depois de viver em condições miseráveis ​​em França.

A família estava a dormir numa tenda para dois homens num acampamento improvisado na floresta de Puythouck, onde vivem pelo menos 200 imigrantes, principalmente do Iraque e do Irão. Fora da tenda foi encontrado um par de sapatos, uma frigideira e um brinquedo.

Mohammad Panahi enviou uma série de mensagens no sábado, onde diz que a família “não tem escolha” a não ser atravessar o Canal da Mancha.

Outra mensagem diz: “Se quisermos ir com um camião, precisaremos de mais dinheiro que não temos.”, relata a BBC.

Uma terceira mensagem diz: “Tenho mil tristezas no meu coração e agora que deixei o Irão, gostaria de esquecer meu passado.”

Boris Johnson prometeu ‘reprimir’ os traficantes de pessoas cruéis após a tragédia, enquanto fontes do governo disseram ao Telegraph que o Reino Unido estava a pressionar para que os franceses apresentassem acusações de homicídio culposo contra os responsáveis.

O promotor regional disse que as acusações podem ser feitas nas próximas 24 horas.

Partilhe com os seus amigos: