Familiares do membro morto por GNR no Seixal vistos armados em carrinhas. GNR em alerta total

Militares da GNR temem represálias após tiroteio que vitimou membro de comunidade esta terça-feira no Seixal.

Links patrocinados

A GNR está em alerta devido a possível retaliação na sequência do tiroteio que aconteceu ao final da tarde desta terça-feira em Fernão Ferro, no Seixal, junto ao parque de estacionamento do Intermarché.

Vários homens armados foram vistos durante a noite desta quarta-feira em três carrinhas brancas, estilo Ford Transit. Encontravam-se junto às imediações da casa do homem que morreu no tiroteio e saíram para um local incerto.

Links patrocinados

Entretanto, os postos territoriais devem estar de porta fechada e foram dadas ordens para que todos os militares usem coletes à prova de bala. Se as carrinhas forem vistas, não deve ser feita qualquer abordagem.

Os militares devem reportar o avistamento das mesmas carrinhas até serem abordadas por forças de intervenção. A informação está a ser avançada pelo Comando Operacional da GNR e partilhada com a PSP.

Relembre-se que esta terça-feira, um homem, membro de comunidade, foi morto numa troca de tiros com a GNR. A vítima estava armada e tinha um mandado de detenção por roubos.

Leia Também: Membro de comunidade dispara sobre dois GNR e acaba morto, no Seixal

O suspeito reagiu a tiro quando o tentaram deter. Dois militares da GNR sofreram ferimentos na perna e na zona abdominal, tendo este último sido operado devido à gravidade dos ferimentos.

Durante o aparato todo, a família da vítima já tinha ameaçado a GNR. Terão dito que nos próximos dias dois ou três militares iam morrer. A segurança do militar que se encontra foi reforçada, bem como a da sua família.

Partilhe com os seus amigos: