Pai da portuguesa encontrada morta em França: "Ninguém queria estar no meu lugar"

Pai da portuguesa encontrada morta em França: “Ninguém queria estar no meu lugar”

Pai da portuguesa encontrada morta em França: "Ninguém queria estar no meu lugar"

O pai de Diana Santos, a emigrante portuguesa encontrada morta na França, revelou o que sentiu quando soube da notícia da morte da filha, na passada quinta-feira.

Links patrocinados

Diana Santos, de 40 anos, natural de Vila do Conde, foi encontrada já sem vida, atrás de um edifício abandonado, junto à Câmara de Mont-Saint-Martin, na França. O corpo foi encontrado sem cabeça e com as pernas cortadas ao nível dos joelhos, pelo que as autoridades tiveram de divulgar imagens das tatuagens da vítima, para tentar identificar o corpo.

Um ex-companheiro da vítima reconheceu as tatuagens na imprensa e contactou as autoridades. Uma das tatuagens tinha a palavra “Kiko”, que é o nome do filho de Diana, que estava emigrada no Luxemburgo.

Links patrocinados

Leia Também: Tânia Fernandes encontrada sem vida no rio Gilão, em Tavira

O pai da portuguesa falou com o jornal Contacto e revelou como lidou com a notícia da morte da filha. “Fiquei meio abananado, caiu-me tudo. Nunca pensei numa situação destas. Nunca pensamos que pode acontecer a um filho nosso”, começou por dizer.

“Eu procuro controlar-me, tenho de tentar manter a cabeça fria. Estou cansadíssimo. Estas noites nem dormi. (…)  Ninguém queria estar no meu lugar, porque nos passa tudo pela cabeça”, contou, emocionado.

O caso está agora a ser investigado pelas autoridades francesas e luxemburguesas.