“Podia ter sido eu”: Onda de apoio à mãe da bebé que morreu esquecida dentro do carro

"Podia ter sido eu": Onda de apoio à mãe da bebé que morreu esquecida dentro do carro

Cresce onda de solidariedade para com a mãe que se esqueceu da filha de dois anos dentro de um carro, em Lisboa.

Links patrocinados

Uma semana após o acidente, são vários os testemunhos de pais e mães que relatam episódios semelhantes que, felizmente, tiveram um desfecho diferente.

Susana Almeida, autora do blogue “Ser Super Mãe é uma Treta”, foi uma das primeiras pessoas a pronunciar-se sobre o sucedido.

Links patrocinados

“Quando li a notícia daquela mãe, que numa hora negra, se esqueceu da filha dentro do carro, o meu primeiro pensamento foi “Podia ter sido eu.” Podia ter sido eu quando vivi anos a dormir mal, a acordar quatro e cinco vezes na mesma noite, podia ter sido eu quando a privação do sono me transformava o cérebro em papa e eu mal sabia quem era”, lê-se na sua publicação no Instagram, já com milhares de partilhas.

Leia Também: Mãe de bebé que morreu fechada no carro está desolada e em estado de choque: “Não pode ser ouvida”

“Aquela mãe não precisa de julgamentos, nem de acusações. Acreditem, ela já o faz sozinha, ela já o fará sozinha para o resto da vida. Da não vida, porque aquela mãe morreu. Só ela saberá o quanto lhe custa viver, abrir os olhos e respirar. E sobreviver um dia atrás do outro. Ninguém sabe, só ela. Ela não precisa de carregar a nossa culpa.”

Recorde-se que a mãe da menina, uma gestora de 40 anos, terá saído de casa para levar os três filhos à escola, por volta das 8h00, tendo apenas deixado os mais velhos, de cinco e sete anos. A bebé ficou esquecida dentro do carro, na sua cadeira, que estava colocada por trás do banco do condutor, não tendo ângulo de visão para o banco da frente.

Partilhe com os seus amigos: