Prisão perpétua para madrasta que tirou a vida ao pequeno Gabriel Cruz

Recurso apresentado pela defesa de Ana Júlia foi rejeitado.

Ana Júlia Quezada terá sido condenada a prisão perpétua por ter asfixiado o seu enteado de 8 anos, Gabriel Cruz, em Fevereiro de 2018.

Pediu recurso do seu julgamento e foi a primeira mulher espanhola condenada a prisão perpétua com direito a revisão.

O resultado dado pelos magistrados recusou o recurso, confirmando a decisão dada a 30 de Fevereiro de 2019 pelo Tribunal Supremo de Justiça da Andaluzia. Outrora, Ana Júlia já teria sido identificada como culpada do episódio, que se deu num terreno agrário dos avós da vítima.

Leia Também: Cristina Ferreira traída e enganada pela melhor amiga

Partilhe com os seus amigos: