Bombeiro explica como menino morreu nos braços do pai: "Cenário terrível"

Bombeiro explica como menino morreu nos braços do pai: “Cenário terrível”

Jovem estava a efetuar manobras de reanimação quando os bombeiros chegaram.

Links patrocinados

O comandante dos Bombeiros de Benavente, José Nepomuceno, explicou durante a manhã desta segunda-feira como o menino com apenas três anos dei dade perdeu a vida nos braços do pai, em Benavente.

Esta segunda-feira, um menino de apenas três anos, faleceu nos braços do pai em Benavente. A criança foi operada às amígdalas na passada sexta-feira e segunda de manhã começou a sofrer complicações suspeitas da operarão. Por volta das 11h42 foi dado o alerta aos bombeiros.

Links patrocinados

O menino entrou em paragem cardiorrespiratória antes de os bombeiros chegarem, tendo uma jovem, filha de um ex-bombeiro da cooperação, procedido a manobras de reanimação. À chegada, os bombeiros continuaram com as manobras de reanimação mas sem sucesso. A morte da criança foi declarado no local.

Os pais e a irmã que estavam no local necessitaram de assistência psicológica por parte do INEM após assistirem ao episodio traumático. Para a ocorrência foram mobilizados cerca de 11 operacionais.

O comandante daquela corporação de bombeiros descreveu um “cenário terrível” após a criança ter perdido a vida nos braços do próprio pai. Os pais e um irmão mais velho assistiram ao episódio traumático e tiveram de ser assistidos e acompanhados por uma equipa de psicólogos do INEM.

O caso está sob investigação pelas entidades competentes.

Leia Também: Menino de três anos morre nos braços do pai após operação às amígdalas, em Benavente