Renato Seabra escreve carta a jornalista a falar sobre o que tem vivido: “Vou abaixo, choro, começo a pensar na pena…”

Renato Seabra escreve carta a jornalista a falar sobre o que tem vivido: "Vou abaixo, choro, começo a pensar na pena..."

Renato Seabra terá que cumprir nos Estados Unidos, pelo menos, 25 anos de prisão. O homicida desabafou com uma jornalista através de cartas.

Links patrocinados

O homicida de Carlos Castro, Renato Seabra, agora com 31 anos de idade, trocou várias cartas com a jornalista Marta Dhanis enquanto cumpre pena de prisão numa das piores prisões norte-americanas até, pelo menos, 2036.

“Há dias que me sinto tão deprimido que não me apetece fazer nada. Nesta idade em que as pessoas fazem planos para a vida, eu somente posso rezar e pedir a Deus para fazer uma milagre e reduzir a minha sentença. Se Deus quiser, vai acontecer algo de bom. Tem de se ter fé”, lê-se na correspondência trocada com a jornalista.

Links patrocinados

A carta foi escrita em 2013, mas agora revelada. A correspondência foi escrita um ano após saber que iria ficar grande parte do resto da sua vida numa das piores cadeias dos Estados Unidos.

Leia Também: Renato Seabra quer vir cumprir o resto da pena a Portugal “mais do que nunca”

“Eu tenho dias que vou abaixo, choro, começo a pensar na pena que tenho de fazer, no sofrimento que a minha família tem, nos sonhos que tenho mas que se tornaram tão difíceis de acreditar. Enfim, tantas coisas. Tento manter-me ocupado, ler, trabalhar, ver televisão”, disse ainda Renato Seabra.

A mãe de Renato Seabra, Odília Pereirinha, é o grande suporte do filho e chegou mesmo a mudar-se para Nova Iorque para apoiar o filho. No entanto, face às despesas e custos de viagens que tinha, a mãe teve que voltar para a casa que chegou a ter à venda, em Cantanhede, Portugal.

“Por aqui há dias muito difíceis, nesses dias rezo muito. Peço ajuda a Deus. Releio cartas da minha família e amigos”, lê-se.

Partilhe com os seus amigos: